Roteiro de 2 dias em Florença

Está planejando uma visita à Toscana? Saiba que Florença é a porta de entrada para a região. Além disso, a cidade tem um período artístico dedicado inteiramente a ela, o que se reflete na qualidade de seus museus. Apesar disso, Florença é pequena e pode ser facilmente visitada a pé. Então, pra ajudar quem tá pensando em ir para lá, elaboramos um roteiro de dois dias inteiros por Firenze. Dá uma conferida!

DIA 1

Catedral de Florença
  • Acorde cedo e compre o ingresso conjunto para o Campanário de Giotto, a Cúpula de Brunelleschi (cúpula da Catedral), a Catedral, o Batistério de San Giovani, a Cripta (acesso pelo interior da igreja) e o Museo dell’Opera del Duomo, todos situados na Piazza Duomo. Tudo isso por apenas 15 euros. Ahhh, e o ingresso é valido por 48h!
  • Decida a ordem de sua visita de acordo com a sua preferência (só não esqueça de reservar o horário de subida à Cúpula e ao Campanário, o que pode ser feito na própria bilheteria)

Dica: as duas subidas valem muito a pena (porém, tenha em mente que são cerca de 450 degraus cada uma)! A visita à Catedral e ao Batistério, também. A cripta é dispensável, mas nós gostamos. Já o Museo não nos agradou nem um pouco, pois ele é inteiramente dedicado à história da Catedral, o que o torna muuuito cansativo. Portanto, se você não gosta de um museu que conte a história da igreja, corte esse item! Caso você queira fazer jus ao ingresso e visitar todas as atrações (que foi o que fizemos), sem problemas.

  • Faça uma visita ao Palazzo Vecchio (junto à Piazza della Signoria) que fica aberto até mais tarde. Lá é onde você encontra o imponente Salão dos Quinhentos e a máscara de Dante Alighieri.

Superdica: Faça o tour guiado pelas passagens secretas do Palazzo! Ele dura cerca de 1h

  • Tá com fome né?  Olhe nossas recomendações de restaurantes no final do post.
  • Durma cedo para curtir bem o próximo dia (ou não, também hahaha)

DIA 2

Davi, obra de Michelangelo na Galleria dell’Accademia
  • Comece o dia com uma visita à Galleria dell’Accademia, onde está o famoso Davi, de Michelângelo. Reserve pelo menos 2h para apreciar a obra e o restante do museu, que é relativamente pequeno.
  • Siga para uma visita à Galleria degli Uffizi, onde há a maior coleção de arte renascentista do mundo. Lá você encontrará, dentre outras obras, “O Nascimento da Vênus” (Botticeli), “Doni Tondo” (Michelangelo), “Baco” e “Medusa” (ambos de Caravaggio). Reserve pelo menos 3h para esse super-museu!
  • Passe pela ultra-famosa Ponte Vecchio, recheada de joalherias (saiba o porquê no fim do post!)
  • Depois, siga para o Palazzo Pitti e os Jardins Boboli (infelizmente o ingresso é separado, o que torna a visita um pouco cara – em torno de 30 euros para as duas visitas)
  • Se sobrar tempo, você pode fazer algumas das coisas que recomendamos abaixo.

RECOMENDAMOS (você pode fazer essas coisas no dia de chegada e/ou no fim do segundo dia inteiro):

O magnífico Mercato Centrale di Firenze
  • Biblioteca Central Nacional de Florença
  • Museu Bargello
  • Piazza della Repubblica (no caminho entre a Catedral e o Palazzo Vecchio)
  • Jante no Mercato Centrale (sim, ele pede bis!). Uma das maiores surpresas da viagem. O melhor mercado de comida com o qual nos deparamos. Vende de tudo: pães, carnes, frios, doces…

 

RESTAURANTES (um local que nos deu essas dicas, portanto, são de ouro!)

Gnocchi al pesto em Florença
  • I Tarocchi (ótima pizzaria, apesar de ser incomparável às do Sul)
  • All’Antico Vinaio (você monta o sanduíche da forma que quiser e os ingredientes são de alta qualidade. Além disso, é muito barato
  • Fagioli (servem ótima comida local)
  • Gilli (restaurante dos anos 1700, um pouco mais caro que os demais por ser refinado e por estar localizado na Piazza della Repubblica)

 

CURIOSIDADES

Vista da cidade a partir do Duomo
  • O Pinóquio (sim, o menininho de madeira que mente) vem de Florença. Há, inclusive, muitos artigos em alusão a ele pela cidade.
  • Florença atrai mais de 10 milhões de visitantes por ano (cerca de 2x mais que o Brasil INTEIRO)
  • Giorgio Vasari (quem projetou a Uffizi e pintou o teto do Salão dos Quinhentos) construiu um corredor que liga o Palazzo Vecchio ao Palazzo Pitti, passando pela Ponte Vecchio, a mando de Cosimo I de Médici, em 1565. É possível ver algumas partes do corredor (inclusive na ponte), mas a sua entrada (que se dá pela Uffizi) está fechada a visitantes no momento. Ahhh, e ele se chama Corredor de Vasari (justo, né?)

 

Tem alguma dúvida? Quer uma opinião sobre o roteiro que você montou ou apenas saber se alguma outra atração merece ser visitada? Faça uma pergunta nos comentários que a gente responde!

Comentários

    1. Post
      Author
      filosofiadeviajante

      oi Tharsila!
      Nos hospedamos em um Airbnb na Volta dei Tintori, próximo à Ponte Alle Grazie. O preço foi muito bom porque ficamos em uma ótima localização. O apartamento nos custou 50 euros/noite.Aqui está o link do Airbnb: https://abnb.me/EVmg/pmWpSGQNrJ.
      Atenciosamente,
      Isadora Rosa.

  1. Pingback: Europa Ocidental: quantos dias passar em cada cidade e por quê » Filosofia de Viajante

Gostou? Quer nos contar sua experiência de viagem? Deixe um comentário!