Como assistir a uma missa do Papa no Vaticano

Passamos 8 dias em Roma durante nossa última viagem à Europa, de 31/12/16 a 08/01/17. Sim, passamos o capodanno (ano novo) na Città Eterna, mas isso é papo pra outro post! Continuando: já sabíamos de antemão que haveria a tradicional missa do dia 1º na Basílica de São Pedro, mas, infelizmente, o período para requerer os ingressos (que são GRÁTIS, pedidos apenas para fins organizacionais) já havia se esgotado. Já havíamos nos conformado de que não seria possível ver o Papa de pertinho. Só que a vida nos prega surpresas (nesse caso, boa)!

No nosso terceiro dia em Roma descobrimos que haveria uma outra missa, no dia 6 de Janeiro (Dia da Epifania). Não pensamos duas vezes. Decidimos que íamos pessoalmente ao Vaticano e tentaríamos conversar com os responsáveis pela missa ou com qualquer pessoa que trabalhasse lá. E foi isso que fizemos! Após visitar o (maravilhoso) complexo Foro Romano – Palatino, disparamos em direção à micro-nação da Igreja Católica. Lá, fomos na Poste Vaticane (“Correio do Vaticano”), onde conversamos com um funcionário. Ele, então, disse que não tinha informações sobre a missa, e que deveríamos conversar com alguém da Guarda Suíça (sim, os famosos guardas que usam roupas coloridas e que protegem o Papa desde 1506). Já estávamos apreensivos. Será que vai dar pra ver a missa? E se não der? Quando será a próxima vez que estaremos em Roma justo no dia de uma missa papal? Não saberíamos se não tentássemos! 

Achamos um guarda suíço (não é muito difícil, o Vaticano é minúsculo) e perguntamos a ele. Os ingressos já haviam se esgotado. Sabíamos que isso era provável, mas quando ele falou aquilo ficamos muito desapontados. É aí que entra o famoso ditado: “a esperança é a última que morre”. Não estava tudo acabado! O guarda nos disse que o número de ingressos geralmente é subestimado, e que geralmente sobram lugares, os quais podem ser preenchidos por quem chega mais cedo. Amigo(a) viajante, havia esperança! Não sossegaríamos enquanto não víssemos o Pontífice perto da gente.

A missa era às 10h, mas já sabíamos que o Vaticano começava a encher após as 8h (encher não, lotar! Mesmo quando não há eventos papais na Praça São Pedro é assim). Acordamos bem cedo e pegamos o metrô de Cavour para Ottaviano-San Pietro. Estávamos esperançosos. Se o Papa é argentino, Deus é brasileiro. E os brasileiros tinham de assistir à missa! Quando chegamos ao Vaticano, perto das 8:15, não havia muita movimentação. Passamos pelo esquema de segurança (de praxe para entrar na Basílica) e fomos entrando despretensiosamente. Havia dois seguranças na entrada, mas quase ninguém mostrava o ingresso. Até que um segurança chegou perto de mim. “Ah não, vão nos expulsar!”, pensamos. “Senhor, tire a touca por favor”. Ufaaaa, era só isso. Olha que eu sempre tiro a touca para entrar em igrejas, mas o nervosismo era tanto que até esqueci!

Seguimos em frente, sem que ninguém nos impedisse, e nos sentamos numa fileira que estava quase vazia, a umas 15 fileiras de distância da porta e a uma boa distância do altar. Não ousamos tirar fotos nem sair do lugar, para não dar bandeira, mesmo sabendo que o que havíamos feito era permitido. Lembra que o guarda suíço nos falou que eles deixam algumas pessoas entrarem sem ingresso? Pois é… Mas logo depois que entramos (já era umas 8:30), vimos que os seguranças estavam exigindo o bilhete para todos os que ingressavam na Basílica de São Pedro. “Caramba, que sorte que tivemos!!!”.

Não estávamos acreditando que iríamos ver a missa do Papa Francisco. E não é que era verdade? 10 minutos antes de a missa começar rezou-se o terço em latim (até aprendemos uns trechos de orações em latim hahaha). “Ave Maria gratia plena Dominus tecum…”. Às 10h, pontualmente, teve início a celebração. Dezenas de pessoas passavam pelo tapete central em direção ao altar até que, quase por último, vinha o Papa Francisco, carregando uma cruz. O Papa! Que só víamos na TV, celebrando a tradicional missa do Galo ou em breves entrevistas e audiências! Ele passou a uns 5m de nós, rapidamente. 

Nós dentro da Basílica de São Pedro logo após o fim da missa

Apesar de sermos católicos, não costumamos ir à igreja. Mas devo dizer: que espetáculo! Que celebração linda! É indescritível! Grande parte da missa é cantada em Latim, o que deixa qualquer um impressionado e encantado. Foram cerca de 2h de pura emoção e alegria por poder presenciar aquilo. No fim, o Papa Francisco passou novamente pela gente, mas dessa vez ainda mais perto! A uns 3m de distância (tá tudo gravado no celular!). Que manhã especial! Tinha sido, até então, o ponto alto da viagem (e olha que Roma nos apaixonamos pela cidade, conforme falamos nesse post).

Foto que tiramos do Papa Francisco ao fim da missa

Viu como é possível assistir a uma missa do Papa? Basta persistir!

Caso você não queira ir pela sorte, como nós, dá pra pedir os ingressos pelo site oficial do Vaticano (http://www.vatican.va/various/prefettura/index_it.html). Mas já aviso: os ingressos costumam se esgotar rapidamente e o único meio de pedi-los é por CARTA ou FAX (pasmem! Pois é… O Vaticano não se modernizou ainda hehe).

E a Praça São Pedro estava assim ao final da missa! Todo mundo esperando pela aparição do Papa da janela do seu apartamento

Gostou? Quer nos contar sua experiência de viagem? Deixe um comentário!