15 lugares imperdíveis na Islândia

Nos 7 dias de viagem e mais de 1500km rodados muitas vezes era necessário se beliscar para acreditar em tamanha beleza. De todos os lugares visitados vou deixar um top 15 do que fazer e visitar por lá! Mas adianto que é difícil selecionar só 15 e que facilmente rola um top 100! 🙂

15 – Reservar ao menos um dia para explorar a capital Reyjavik

Reyjavik é uma cidade linda e que transborda a cultura islandesa!

~ Pausa para um adendo de história e folclore: A Islândia foi inicialmente colonizada na Era Viking que começou por volta de 800 dC por povos nórdicos, entre noruegueses, vikings, celtas. Antes desse período de colonização havia relatos dessa ilha como o local onde o sol brilhava por toda a noite no verão. A história da Islândia é cercada por lendas folclóricas de povos escondidos como elfos, duendes, gnomos, trolls e outros seres sobrenaturais. J Quando os primeiros navios vikings chegaram na Islândia, cabeças de dragões foram removidas das proas para não incomodar os espíritos guardiões da terra. Esses espíritos são os ancestrais do povo escondido, que sempre foram fortemente identificados com as características da paisagem. O povo escondido foi sempre mencionado nas sagas escritas durante os primeiros séculos da colonização. Em grande parte, se tornaram um fenômeno folclórico paralelo à fé cristã, até mesmo algumas vezes sendo incorporados nos ritos cristãos.~

Na capital você pode visitar a linha Igreja Hallgrimskirche (aperta o start no trava língua) com a sua arquitetura única lembrando as paisagens do país. A algumas quadras da igreja encontramos a linda Opera Harpa. Se tiver tempo recomendo o Musel Nacional da Islândia. Além disso você não pode sair da capital sem fazer o check-in em um dos pontos mais badalados da capital, mas esse é assunto pro próximo Top 10.

Na capital dá pra visitar uma praia geotermica chamada de Nauthólsvik. Possui uma faixa de areia onde a água gelada do mar se funde com a água geotermal. No inverno a temperatura chega a -1,9 graus e no verão 17 graus. Em frente essa praia há uma piscina com água aquecida e facilidades como banheiros, chuveiros (tudo com estrutura ótimo) e sem nenhum custo! O local recebe 530.000 visitantes por ano

 

14 – Comer o melhor cachorro quente do mundo!! 🙂

Quando escutei sobre esse cachorro quente pensei que era mais um daqueles marketings pega turista, mas posso afirmar com toda certeza das minhas papilas gustativas que é o melhor cachorro quente desse mundão!

A barraquinha de hot dog fica na capital Reyjavik: ryggvagata 1, 101. O nome do local é Bæjarins Beztu hot dogs, caso você se perca pode perguntar pelo melhor cachorro quente e certamente qualquer morador saberá te guiar. O cachorro quente custa 400ISK e o grande desafio é comer um só!

 13 – Conhecer os lindos cavalos islandeses únicos nesse mundão 🙂

Ao andar pelas estradas da Islândia você não vai conseguir não parar para apreciar de perto esses animais maravilhosos. A raça de cavalos que há na Islândia é única, os cavalos são pequenos e vieram com os primeiros colonizadores há 1100 anos. Escavações arqueológicas constatam que eles descendem de uma antiga linhagem de cavalos que hoje existe apenas na ilha! Um adendo: cuidado ao se aproximar das cercas onde há os cavalos pela estrada! Eu, hipnotizada pelos cavalos sai correndo bem feliz e fui me escorar na cerca pra fazer carinho neles e levei um baita choque! (não, não havia sinais de placa falando de cerca elétrica)

12 – Conhecer os belos canyons da ilha 🙂

FJAÐRÁRGLJÚFUR, canyon do sul do país.

Um dos grandes atrativos da ilha são as suas formações rochosas e canyons. Deles se destaca o Fjaðrárgljúfur. Ele tem aproximadamente 100 metros de profundida e 2km de extensão. Pesquisadores acreditam que a formação dele ocorreu na Era Glacial há aproximadamente nove mil anos!! É possível caminhar pelas margens do canyon apreciando a linda vista! Não há taxa de entrada para visita 🙂

 

11 – Visitar os destroços do avião DC-3

Imagem disponibilizada pela Mel – uma das grandes inspiradoras da viagem!

Localizado no sul da Islândia entre a cidade de Vik e a cachoeira Skógafoss há o caminho que leva ao local da queda do avião DC-3. O avião americano teve um pouso forçado por condições climáticas na praia Sólheimasandur em novembro de 1973. Com sorte todos os tripulantes sobreviveram e a fuselagem do avião hoje contrastando com a praia de areia negra serve como cenário de filme, ótimo para fotos! Na época que visitamos havia um vento fora do normal no local o que impossibilitou que caminhássemos até lá, mas fica o registro da Mel que capturou esse local lindo cheio de história! Não há taxa de entrada para visita!

10 –  Visitar uma das incríveis praias de areia negra da Islândia

Djúpalónssandur & Dritvík, oeste da Islândia.

Quando o assunto são praias de areia negra a Islândia é perita. Nela estrelam: Vik, próxima da capital, cerca de 2h15 de carro, onde encontramos uma extensa praia de areia negra com formações vulcânicas nas rochas que ficam em frente ao mar. É preciso cuidado especial para os que ousam se aventurar a nadar, pois há muitos relatos de afogamentos na praia.

Apesar de Vik ganhar a maior fama outra praia mais ao oeste ganha no quesito beleza: Djúpalónssandur & Dritvík. Para chegar ao local é necessário uma caminhada leve onde você passa por formações vulcânicas e dois lagos que te dão a certeza de estar em outro planeta! A caminho da praia é possível ver os destroços de um navio britânico naufragado na região em 1948, como se fosse um museu a céu aberto. A região é conhecida por seus naufrágios. Ao chegar na praia é possível contemplar o som das ondas do mar sempre que tocam as pedras negras que compõe a costa, certamente uma bela sinfonia!

9 – Conhecer a piscina mais antiga e fotogênica da Islândia – Seljavallalaug Pool.

 

Dentre as belezas do Sul da Islândia encontramos a Seljavallalaug Pool, uma piscina artificial que tem uma vista que simplesmente deixa qualquer queixo cair! A piscina foi construída em 1923 por visionários que queriam dar a população um local para que eles aprendessem a nadar. Na época, diferente dos dias de hoje, a maior parte da população não sabia nadar e isso era um problema por boa parte da economia do país girar em torno na pesca. Hoje a piscina é mantida por voluntários e doações, a água vem de termas próximas do local. Não é cobrado valor para entrar, mas é necessário bom senso para deixar o local assim como você o encontrou, mantendo esse pedaço quase intocado de paraíso para as próximas gerações! Para chegar até lá se você estiver dirigindo a partir de Reyjavik você pegará a estrada da Ring Road número 1 em direção a via 242 sinalizada como Raufarfell, você dirige até ver uma placa escrito Seljavellir, do estacionamento você caminha em torno de 15 minutos por um vale lindo quando pode avistar então o local J Ps. Revirei o computador e não achei minhas fotos de lá L Fica então mais uma vez a foto que a mel autorizou desse lugar mágico!

 

8 – Escalar um vulcão

Cratera do Vulcão Hverfjall, norte da Islândia.

A localização entre placas tectônicas dá a Islândia uma infinidade de vulcões e se você está passando pelo país precisa ter a experiência de escalar até a cratera de um! Escolhemos o Vulcão Hverfjall, próximo a Myvatn Nature Baths. A escala é tranquila, há a necessidade de cuidar com possíveis trechos com neve, pois podem se tornar escorregadios. A cratera do vulcão tem cerca de 1km de extensão e a sua última erupção foi há 2500 anos! Mais impressionante que a cratera é a vista da subida onde você pode contemplar a vastidão do norte islândes.

Subida ao vulcão Hverfjall

——————

Leia mais: Islândia que cabe no bolso: uma aventura da terra do gelo e do fogo

——————

7 – Visitar o ponto de encontro das placas tectônicas – Onde Europa e América se encontram!

Parque Nacional Thingvellir

No Parque Nacional Thingvellir encontramos o local de encontro da placa da Eurásia (a esquerda) e Americana (a direita). É possível fazer mergulhos na região do rio entre os fiordes com empresas especializadas! O Parque por si só é repleto de trilhas e cachoeiras uma atração a parte! Não é necessário pagar taxa para visitar o local!

 

6  – Visitar os geysers

Vale Geotérmico Haukadalur

A palavra geyser deriva do verbo islandês “geysa”, ou seja, “jorrar”. Nunca vou esquecer da primeira vez que vi um geyser em atividade! Estava uma roda de pessoas a espera, uma cerca para limitar o local onde não podia ultrapassar e quando chegou o momento o jato foi tão alto e forte que cruzou a barreira de proteção e um bucado de gente ganhou um banho de brinde J rs Os geysers ficam próximos a capital Reyjavik no Golden Circle no Vale Geotérmico Haukadalur. Lá você encontrará o geyser Geysir, considerado o pai dos geysers, por ter batizado os demais com seu nome. A potência original do pai dos geyser era de 70m de altura! Aqui você encontra um vídeo de um deles em atividade: https://www.instagram.com/p/BFg7aUFGQ0o/?taken-by=carolmarquesv

 

5 – Visitar as lagoas glaciais e a maior geleira da Europa –além é claro dos leões marinhos

Lagoa glacial Jökulsárlón, sul da Islândia.

A primeira vez que você vê uma lagoa glacial você simplesmente não esquece! As lagoas com as geleiras e picos nevados ao fundo junto com a visão de leões marinhos brincando é algo que você estampa nas memórias de vida pra guardar pra sempre! Jökulsárlón começou a ser formada no início da década de 1920 e está ficando maior a cada ano que passa. Você pode ver enormes blocos de gelo que se desprendem da maior geleira da Europa, Vatnajökull, à medida que eles flutuam lentamente em direção ao Oceano Atlântico, que fica a menos de um quilômetro de distância.

 

4 – Cachoeiras e cachoeiras sem fim!

Gullfoss Waterfall, sul da Islândia

Depois de 7 dias rodando a Islândia quase criei um adendo a fama da Islândia. Islândia: terra do gelo, do fogo e das cachoeiras! Seria necessário um Top 15 só para as cachoeiras de lá! As cachoeiras são realmente incontáveis e uma mais linda que a outra! Desde aquelas que você perde de vista de tão grandes e majestosas até as menores que correm por rios de azul turquesa! Dentre tantas cachoeiras as que merecem ser apreciadas de perto: Gullfoss (sul da Islândia), Godafoss, Skógafoss (você pode inclusive passar por dentro dessa!), Svartifoss (com formações rochosas lindas!!), Hraunfossar & Barnafoss (a que corre em um rio de azul turquesa :). Se você é, assim como eu, apaixonado por cachoeiras a Islândia é sem dúvida o país para você!

Hraunfossar & Barnafoss, oeste da Islândia

 3 – Relaxar em uma piscina geoterma do mais lindo azul turquesa

Myvatn Nature Baths

As piscinas geotermais são um ponto de parada obrigatório na Islândia. Muito conhecida pelos turistas e próximo a capital temos a Blue Lagoon, mas ela está longe de ser a mais bonita do país. Seguindo dicas valiosas optamos por não ir nela e apenas conhecer a estrutura. Reservamos a iniciação nas geotermas na Myvatn Piscinas Naturais no norte do país e sem dúvida foi uma escolha certa! O local é surreal de lindo, com montanhas nevadas ao fundo e com uma vista linda para o pôr do sol. O local é bem menos sucateado de turistas e o preço é bem menor que a Blue Lagoon, se você optar por fazer a Ring Road não deixe de parar na Myvatn! J Tanto a Blue Lagoon como a Myvatn possuem uma ótima estrutura com chuveiros, banheiros, secadores, tudo que há de melhor para curtir e relaxar! Obs. Se você for estudante lembre que possui desconto de 50% na entrada da Myvatn.

2 – Testemunhas o sol da meia noite

Orla de Reyjavik, 00:00

Nas datas próximas ao solstício de verão acima do Circulo Polar Ártico e abaixo do Círculo Polar Antártico é possível presenciar dias com praticamente 24 horas de sol. A sensação de olhar no relógio 00:00 e ter o sol raiando no céu é indescritível. A vantagem de se viajar próximo dessa época é a possibilidade de aproveitar melhor os pontos turísticos e visitar mais deles levando em conta que no inverno a duração dos dias são mais curtas!

1 – Testemunhar a Aurora Boreal

Um dos fenômenos naturais mais lindos da Terra. A época ideal para visitar a Islândia com esse fim vai de setembro a abril. Caso você ir nessa época o site vedur.is possui uma sessão de Aurora Forecast, mostrando em branco as áreas de céu limpo (melhor lugar para caçar a aurora), bem como a previsão para o resto do dia em intervalos de 3 horas. Infelizmente na época que fui não era mais o período da aurora, mas sim do sol da meia noite. A Islândia como mencionei merece ser vista em todas as estações 🙂

Gentilmente escrito por nossa amiga Caroline Marques Vieira

 

Comentários

    1. Post
      Author
      filosofiadeviajante

      Obrigada Patrícia! Estamos nos esforçando para trazer mais conteúdo de qualidade para vocês!

  1. Cristiane

    Olá, você teve problema com mosquitos no Myvatn Nature Baths? Vi alguns relatos que nessa região há muitos mosquitos!

    1. Post
      Author

Gostou? Quer nos contar sua experiência de viagem? Deixe um comentário!