Campo dos Padres, um tesouro inestimável na Serra Catarinense

Já pensou caminhar à beira de precipícios, em meio a uma mata rasteira e úmida, admirando paredões de pedra recortados por rios e recheados de uma mata densa, de um verde resplandecente, e após uma longa caminhada sentar e curtir o silêncio e a magnitude da natureza enquanto se pergunta: “esse lugar existe mesmo?”.

Existe, se chama Campo dos Padres, e fica no Brasil. Mais especificamente, na Serra de Santa Catarina.

Entendendo um pouco sobre a localização do Campo dos Padres (imagem retirada da pesquisa ‘Fotofisionomia das formações campestres do Campo dos Padres, Santa Catarina, Brasil’, disponível em https://periodicos.ufsc.br/index.php/insula/article/view/2178-4574.2009v38p42/17367)

 

Mas o que é, afinal, o Campo dos Padres?

O Campo dos Padres é uma área extensa de planalto situada na divisa entre 3 regiões políticas do Estado: Grande Florianópolis, Sul e Serra, abrangendo diversas cidades (conforme figura acima). A origem geológica dessa região remonta, sobretudo, à formação da Serra Geral (o maior derramamento de lava do planeta) e aos movimentos de separação da Gondwana (o antigo supercontinente que abarcava o que é hoje o hemisfério sul), há mais de 200 milhões de anos. No que se refere à vegetação, estima-se que os campos tenham sido o primeiro bioma a existir no Planalto Catarinense. Com as variações de temperatura e umidade nos milhões de anos subsequentes, possibilitou-se o crescimento de outros biomas onde hoje é o Campo dos Padres, dentre eles mata de araucária (Floresta Ombrófila Mista), Floresta Ombrófila Densa (típica da mata atlântica), turfeiras (banhado) e matinhas nebulares. Quanto ao nome, historiadores acreditam que se deva à passagem dos padres jesuítas expulsos das missões guaraníticas pela região no século XVIII.

E o que tem pra fazer lá?

O Campo dos Padres é riquíssimo em atrações, quase todas naturais. Algumas acessíveis de carro, outras somente por trilha, vamos listar cada uma delas pra vocês!

Morro da Boa Vista

O Rio Canoas e os muros de taipa serpenteando o Campo dos Padres

É o ponto mais alto de Santa Catarina, com 1827m. O acesso se dá por trilha, sendo que a principal delas fica em Anitápolis (a 100km de Florianópolis), e se chama Trilha dos Índios.

A Trilha dos Índios corta esse morrão

Pudemos fazê-la em junho, em um final de semana em que estávamos acampados. Para chegar ao início da trilha, que fica em uma propriedade particular, leva pouco mais de 1h de carro a partir do centro de Anitápolis, por uma estrada de terra bem acidentada, por vezes intransitável se você não está com um veículo 4×4. Depois, caminha-se pela propriedade e se chega à entrada da trilha de fato, que já começa em mata um pouco fechada. O percurso pode ser considerado difícil, visto que se deve “escalar” algumas pedras no caminho, o terreno é bem irregular (afinal, é no meio da mata) e o trajeto de ida e volta tem cerca de 20km. Como fomos em dia de chuva (não recomendamos!), levamos 3h para subir. Chegando lá em cima, ainda atravessamos um banhado e acampamos próximo ao Cemitério Jesuíta, ponto importante para quem se aventura por aquelas bandas. Ainda pudemos ver algumas cachoeiras, muros de taipa e até búfalos, mas não fomos ao Morro do Boa Vista.

Exaustos depois da trilha. Nem sabíamos o banhado que estava por vir… hahaha
Cemitério Jesuíta
Uma das poucas casas do Campo dos Padres. Provavelmente refúgio de criadores de gado

Todo o trajeto pode ser visto neste tracklog (que não é nosso, mas sim de um usuário do Wikiloc). Recomendamos que você realize a trilha com um grupo experiente, ou através de uma das agências da região. Nós fizemos com a Montanha Viva Trekking, do Franklin e do Lucas, e recomendamos (eles não nos levaram ao Morro do Boa Vista, portanto informe-se antes de ir!).

*Esteja ciente de que fazer essa trilha de forma autônoma pode ser arriscado, especialmente se você não conhece a região e/ou não tem experiência com trilhas. Por isso acreditamos na importância de contratar um guia para conhecer a região.

Cânion Espraiado   

Sabe a descrição do início do texto? Era exatamente nesse lugar que eu tava pensando! O acesso a ele se dá por trilha ou off-road (veículo 4×4). São mais ou menos 40km do centro de Urubici até a casa que dá acesso ao cânion. Na verdade, são duas casas, dos donos da propriedade que dá acesso ao cânion. Lá em cima há opção de acampar (R$30/pessoa, com estrutura bem rústica – sem eletricidade, sem cozinha coletiva e um banheiro compartilhado entre todos) ou se hospedar nas casas (R$50/pessoa, não inclui refeição). Mesmo se você só fizer uma visita, deve pagar uma taxa de acesso de R$20, em uma casa que fica na parte asfaltada da rodovia que leva ao cânion (a casa fica no lado direito da rodovia para quem vem do centro de Urubici, e há uma placa avisando que ali é o ponto de pagamento da taxa. Portanto, fique atento!). A casa é da mesma proprietária da casa de madeira lá do cânion, e se ela não estiver lá, pague a taxa lá em cima mesmo. O proprietário da outra casa do cânion, que fica no mesmo terreno, é o Douglas, mas não chegamos a conhecê-lo.

Casa onde se deve realizar o pagamento da taxa de acesso ao cânion

A maioria das pessoas chega lá através de agências, com pacotes de trilha que giram em torno de R$120 (inclui guia, pernoite no acampamento, 4×4 de apoio caso necessário, janta do dia de chegada). Caso você queira subir de carro, seja para um bate-e-volta ou para acampar, e não tem um 4×4, também tem a opção de contratar uma agência para levá-lo até lá (que eu tenha visto, custa R$100 ida e volta, por pessoa). Uma das agências é da irmã do Douglas, a Carol, e se chama Cânion Espraiado.

*Esse tracklog de um usuário do Wikiloc também mostra o caminho.

Serra do Corvo Branco

Imagem retirada de: https://jp-lugaresfantasticos.blogspot.com/2011/12/serra-do-corvo-branco-santa-catarina.html. Acesso em 29/08/18 às 18h.

Ligação pioneira entre a Serra e o Litoral catarinenses, a Serra do Corvo Branco é hoje uma atração turística sem igual no Brasil: possui o maior corte em rocha no país, com 90m. Em outras palavras, é uma estradinha que corta um paredão de pedra. Impressionante, não? Não fica exatamente no Campo dos Padres, mas muito próximo, a apenas 26km do centro de Urubici, conectando-a ao distrito de Aiurê, no município de Grão-Pará. Também pertinho do Cânion Espraiado.

Você sabia que…

> O Campo dos Padres é um dos pontos mais elevados do planalto sul da Serra Geral do estado de SC, abrigando o ponto mais alto do estado: o Morro da Boa Vista?
> O Campo e o conjunto de serras que o circunda se constitui num dos últimos conglomerados de mata de araucária e campos de altitude com elevado grau de preservação que ainda restam em Santa Catarina?
> Essa região ainda compreende outros ecossistemas, dentre eles as turfeiras e as matas nebulares?
> É hábitat de diversas espécies de flora e fauna em risco de extinção, como a araucária, a imbuia, o xaxim-bugio, o leão-baio (puma), a gralha azul, o papagaio-de-peito-roxo etc.?
> Fontes abastecedoras de importantes rios brotam aqui, como a do Rio Canoas?
> Acredita-se que essa área é ponto de recarga do Aquífero Guarani?
> Há uma proposta para a criação do Parque Nacional do Campo dos Padres, a qual contemplaria mais de 50.000 hectares distribuídos entre diversos municípios catarinenses?
> Existe proposta de implantação de um complexo eólico no Campo dos Padres, o que poderia prejudicar esse patrimônio natural da humanidade?

 

Gostou? Quer nos contar sua experiência de viagem? Deixe um comentário!