Microcentro: uma visita ao coração de Buenos Aires

Começaremos nossa série de posts sobre os bairros da capital argentina com o bairro mais óbvio: o Microcentro. Aqui encontramos as atrações mais emblemáticas da cidade. Quer conhecer um pouco mais? Abaixo listamos cada uma delas 😉

Plaza de Mayo

Cartazes de protesto na Plaza de Mayo, lugar de manifestações na capital argentina

A praça mais conhecida da cidade, onde estão grandes símbolos da capital argentina. Foi aqui também que eventos históricos turbulentos ocorreram. Em 1945, uma multidão de peronistas (como são chamados os apoiadores do ex-presidente Juan Perón), liderada por Evita Perón (sua mulher, hoje um ícone argentino), clamou pela libertação do presidente, que naquele momento estava preso. Aqui também que, em 1982, foi anunciada a decisão de brigar pela soberania das Ilhas Malvinas. Na crise de 2001, milhares de cidadãos também se reuniram aqui para protestar. Seu nome comemora a Revolução de Maio de 1810, que iniciou o processo de independência das colônias da região sul da América do Sul (antes chamadas de Províncias Unidas do Rio da Prata). No aspecto turístico, a praça é muito interessante e merece um dia inteiro no seu roteiro. Dentro dela estão o Cabildo, a Casa Rosada e seu respectivo museu, a Catedral Metropolitana de Buenos Aires e o Banco de la Nación Argentina, todos com explicações mais detalhadas no decorrer desse post.

 

Leia também: Transporte público de Buenos Aires: como usar metrô, ônibus, bike e ônibus turístico

 

Cabildo de Buenos Aires

Cabildo de Buenos Aires à direita (prédio branco)

É um edificio histórico da cidade por ter sido um dos cenários da Revolução de Maio de 1810, que marcou o inicio da Argentina como nação. Transformou-se então em um museu, que mostra a história do país do período colonial até o processo revolucionário. Um dos acervos históricos mais interessantes da cidade, com entrada gratuita. É possível visitá-lo autonomamente ou através de passeios guiados. Informações mais detalhadas sobre esse museu aqui.

Horários: Visita autônoma – Terças, quartas e sextas das 10:30 às 17:00, às quintas das 10:30 às 20:00 e finais de semana e feriados das 10:30 às 18:00; Visita guiada – Terças, quartas e sextas às 15:30, quintas às 15:30 e às 17 h e sábados, domingos e feriados em diversos horários (11:00, 12:30, 14:00, 15:30 e 16:45).

Casa Rosada e Museo Casa Rosada

Plaza de Mayo, com Casa Rosada no fundo
Foto retirada do site do museu: https://www.casarosada.gob.ar/la-casa-rosada/museo

Em nossa opinião tanto a visita guiada quanto o museu valem a pena (ambos gratuitos!). A visita guiada deve ser reservada com antecedência  (acesse esse link para mais informações sobre o agendamento de visitas). Já o museu, com entrada pela direita na Rua Hipolito Yrigoyen, é auto-guiado e mostra cada etapa da história argentina, desde o “descobrimento” até os dias atuais, através de fotos, obras, vídeos e objetos antigos. Imperdível para amantes de história! Nele há itens usados por presidentes, como o bastão presidencial, que é usado nas cerimônias de posse, a cadeira presidencial, carros, carruagens e outros presentes que os governantes doaram para o Museu. Para saber mais sobre esse museu, clique aqui.

Horários: Visita guiada – Finais de semana e feriados, das 10h às 18h. Museu – Quarta a domingo, das 10h às 17h30min.

Catedral Metropolitana

Catedral Metropolitana de Buenos Aires

A igreja mais imponente da cidade. No seu interior se localiza o túmulo de José de San Martín, o general argentino que participu ativamente nos processos de independência da Argentina, do Chile e do Peru. Essa igreja também é famosa por ser o local onde o Papa Francisco atuou desde 1998 até assumir como Sumo Pontífice. Há visitas autônomas e guiadas, conforme horários abaixo.

Horários:  Visita autônoma – Segunda a sexta das 7:30 às 18:45, finais de semana das 9h às 18:45 e feriados das 9h às 17:30; Visita guiada – Segunda a sexta às 11h15 (no mínimo 15 pessoas, a combinar por telefone com a secretaria da Catedral, de seg-sex, das 10h às 14h. Custa 8 pesos/pessoa).

 

Leia também:  Como ir dos aeroportos de Buenos Aires ao centro (e vice-versa)

 

Banco de La Nación

Banco de la Nación Argentina

Foi fundado em 18 de outubro de 1891 pelo presidente Carlos Pellegrini para ser uma das principais fontes de financiamento para os pequenos agricultores em suas primeiras décadas, e mais tarde para as empresas comerciais e industriais, bem como a gestão de uma série de transações do setor público. Na Plaza de Mayo é possível observá-lo como uma imponente construção ao lado da Casa Rosada. Também é possível visitar o Museo Histórico y Numismático Del Banco de La Nacional, que está localizado na Bartolomé Mitre 334. O acervo é tímido e a visita rápida, mas interessante por contar a história econômica da Argentina e contextualizá-la com os períodos históricos.

Horários: Segunda a sexta das 10h às 15h.

Centro Cultural Kirchner

Centro Cultural Kirchner, em obras, no mês de julho de 2018.

Foi inaugurado em 21 de maio de 2015 pela presidente Cristina Kirchner e está instalado no antigo palácio sede do Correio Central de Buenos Aires. É possível realizar uma visita independente gratuita ou através de visitas guiadas também gratuitas, em espanhol, sem reserva antecipada. No dia em que íamos visitá-lo, o centro estava fechado, logo não conseguimos conhecer o seu interior. Também é possível assistir todos os tipos de espetáculos nesse centro. Para saber mais sobre essa atração, clique aqui.

Horários: Visita autônoma – Quarta a domingo das 13h às 18h; Visita guiada – Sábados, domingos e feriados das 14h às 15:30.


Leia também: O que não deixar de fazer em uma primeira visita a Buenos Aires


 

Café Tortoni

Foto retirada do site do Café Tortoni : http://www.cafetortoni.com.ar/br/?p=fotos

Um dos cafés mais famosos da cidade. Quando chegamos para conhecê-lo, a fila estava enorme e no final acabamos não o vendo por dentro. Os preços são mais salgados que nos outros cafés, uma vez que é muito turístico. Este foi fundado por um imigrante francês com sobrenome Touan, que exportou o nome Tortoni de um café da moda que existia no Boulevard des Italiens, em Paris. Em 1880, o francês Celestino Curutchet comprou o local e o instalou onde permanece até hoje, no bairro Monserrat. Em 1898 foi aberta uma entrada principal na Avenida de Mayo, 825, seu endereço mais conhecido.

Horários: Todos os dias das 8h à 01h (da madrugada).

Teatro Colón

O lindíssimo interior do Teatro Colóm

Foi inaugurado em 25 de maio de 1908, com a ópera Aida, de Giuseppe Verdi, e declarado Monumento Histórico Nacional em 1989. De 1857 a 1888, funcionou em um outro edifício, em frente à Plaza de Mayo. O projeto inicial foi concebido pelo arquitecto Francesco Tamburini. Após sua morte, em 1891, a obra foi continuada por seu parceiro, o arquiteto Victor Meano, autor do palácio do Congresso argentino. Você pode visitá-lo de duas maneiras: através de tours guiados ou em espetáculos, que sempre estão ocorrendo nesse espaço. Nós resolvemos conhecê-lo no dia de nosso espetáculo: assistimos a uma ópera. E podemos afirmar que esse lugar não perde em nada para os grandes teatros europeus (inclusive para a famosíssima Staatsoper de Viena, na qual assistimos a dois espetáculos). É possível também ver o que está em programação no teatro aqui e comprar os bilhetes aqui.

Horários: Visitas guiadas funcionam todos os dias (com poucas exceções no ano) das 9h às 17h, com saídas a cada 15 minutos. Mais informações aqui.

Plaza del Congreso

O imponente prédio do Congresso Nacional Argentino, na Plaza del Congreso

Inaugurado em 1906, a construção do palácio do Congresso Nacional teve início em 1898, a partir de projeto do arquiteto Victor Meano, um dos profissionais envolvidos na construção do Teatro Colón. O escultor Jules Dormal assumiu a obra após o falecimento de Meano, mantendo o projeto original. O Congresso Argentino é uma das construções mais impressionantes de Buenos Aires. Aqui também é possível fazer visitas guiadas (gratuitas!!), em castellano e inglês. O mais interessante da visita é ver o interior do congresso e conhecer um pouco da organização política do nosso vizinho. Não é preciso realizar reserva antecipada, basta chegar no acesso do Palácio na rua Hipólito Yrigoyen 1849 minutos antes da visita, com passaporte, e cadastrar-se como visitante. Para ler mais, acesse esse site.

Horários: Segundas, terças, quintas e sextas das 12:30 às 17h.

Avenida 9 de Julio y Obelisco

Obelisco de Buenos Aires

Construída em 1912 e concluída em 1930, a avenida recebeu este nome em homenagem à data da Declaração da Independência da Argentina (9 de Julho de 1816). Seis anos mais tarde depois da inauguração da avenida, foi inaugurado o Obelisco de Buenos Aires em 1936, erguido em comemoração aos 400 anos da cidade. Com seus 140 metros de largura, une ao Sul a Plaza Constitución, o terminal ferroviário da cidade e um dos principais pontos de conexão do transporte público da cidade, e ao Norte a Avenida Del Libertador. Em seu trajeto corta os principais bairros do Microcentro portenho, como Constitución, Monserrat, San Nicolas e Retiro, além de fazer cruzamentos com avenidas importantes como Santa Fé, Córdoba, Avenida de Mayo, Independencia, Belgrano e San Juan. Já o Obelisco fica no cruzamento da Avenida 9 de Julio com a Calle Corrientes. O Obelisco é também o eixo do chamado Metrobus, sistema de transporte coletivo que combina ônibus articulados e tradicionais, com uso de faixas exclusivas.

Puerto Madero

Puerto Madero
Puente de la Mujer

Uma das áreas mais modernas (e caras) da cidade. Essa região era um antigo porto, que passou por uma revitalização iniciada na década de 90, considerada um dos projetos de renovação urbana mais bem sucedidos do mundo. Aqui encontramos a famosa Puente de La Mujer, projetada pelo arquiteto espanhol Santiago Calatrava e restaurantes e cafés de alto nível. Essa área é ideal para caminhar, relaxar e tirar muitas fotos. Aqui também tem um Centro de Informações Turísticas, onde você pode tirar algumas dúvidas ou adquirir mais informações sobre a cidade. Talvez uma das áreas mais tranquilas de BA.

 

Leia também: Onde comer e beber barato em Buenos Aires

 

Reserva Ecológica Costanera Sur

Costanera Sur
Carrinho de choripán, na Costanera Sur

A Costanera Sur é uma reserva ecológica que fica na zona sul de Buenos Aires, às margens do Rio da Prata. Assim como Puerto Madero (tecnicamente a Reserva também está localizada em Puerto Madero), também é um ótimo local para relaxar e caminhar. Aqui também é possível encontrar vários carrinhos de comida com o famoso choripán (pão com linguiça). Não é um choripán tão bom quanto o que comemos na Feria de Mataderos (no subúrbio de BA), mas pode ser um bom quebra-galho caso você esteja com muita fome.

*A definição de atrações pertencentes ao Microcentro são as mesmas apresentadas no guia de viagem DK Argentina.

E aí? Gostou das nossas dicas? Tem alguma dúvida ou sugestão? Escreva nos comentários abaixo 😉

 

 

 

 

Gostou? Quer nos contar sua experiência de viagem? Deixe um comentário!