Transporte público de Buenos Aires: como usar metrô, ônibus, bike e ônibus turístico

Independentemente do lugar onde você vai se hospedar em Buenos Aires, é muito provável que você precise usar o transporte público. Listaremos quatro opções: ônibus, metrô, bicicleta e ônibus turístico. Tenha em mente que os valores informados no post podem estar defasados, devido à elevada inflação na Argentina. Para saber os valores atualizados, clique nos links de referência que deixaremos ao fim de cada tópico.

O primeiro passo é adquirir o Cartão SUBE

Pra utilizar o ônibus e o metrô de BsAs, é necessário adquirir a tarjeta SUBE, que é uma espécie de cartão pré-pago e recarregável. Basta comprá-lo em qualquer kiosko (aqueles lugares que vendem guloseimas e que estão espalhados pela cidade, inclusive nos aeroportos) ou nas estações de metrô. Custa 60 pesos (só o cartão) e você ainda deve carregá-lo com uma quantia que seja suficiente para sua viagem (os valores estão nos tópicos de cada transporte, logo abaixo). Pra recarregar, só usar as maquininhas com a identificação SUBE (na cor azul), localizadas nos aeroportos de Ezeiza e Aeroparque e nas estações de metrô. Elas não dão troco e não aceitam moedas. Esteja sempre em posse do cartão, pois você irá usá-lo logo que entrar no ônibus ou no metrô. Outra coisa legal é que se você usar o SUBE mais de uma vez em um período de 2h, você acumula descontos na passagem (50% na 2ª, 75% na 3ª). Para outras informações clique aqui.

Detalhe: você pode acumular até 30 pesos negativos no cartão, então não se desespere se não tiver mais saldo!

 

Leia também: Onde comer e beber barato em Buenos Aires

 

Como usar o metrô

São 7 linhas do Subte (como é chamado o metrô de BA). Com exceção da linha H, que serve a Recoleta, todas as outras passam no centro da capital (região da Calle Florida e da Casa Rosada). O sistema é rápido, barato e tem uma abrangência boa (só também não vá com a expectativa de que há estações em cada esquina, como em Londres e Paris).

Mapa do metrô de Buenos Aires
Entrada de uma estação de metrô de BA

Usamos e abusamos do metrô, já que nos hospedamos em Villa Crespo e quase que diariamente usávamos a estação Malabia O. Pugliese para fugir do trânsito em horário de pico (tá aí uma das vantagens do metrô!). Também não vou mentir: não eram as mil maravilhas. Pegar o metrô em horário de pico (8h-9h ou 18h-19h) pode ser um desafio de paciência: num dado dia tivemos que esperar 5 trens passarem para conseguirmos entrar (e olha que estávamos na 4ª estação da linha!). Mesmo assim, acho que é melhor do que encarar o busão naquele trânsito maluco do pico em BsAs.

Pra usar o metrô, basta estar com o cartão SUBE e passá-lo na catraca (quando der o sinal verde, pode passar!). Daí, é só aguardar o próximo trem (geralmente há telas com os próximos horários). Não esqueça de conferir se a direção do seu trem é a correta: é só ver o nome da última estação (ex. você vai da estação Florida à estação Malabia, pela linha B. A direção é Juan Manuel de Rosas, que é a última parada do trem que vai para aquela direção). A tarifa atual é de $12,50. Para informações de horário, acessibilidade e preço atualizado clique aqui.

Só passar o cartão na catraca e entrar
Mesma linha, duas direções opostas. Preste bastante atenção nisso!

 

Leia também: Como ir dos aeroportos de Buenos Aires ao centro (e vice-versa)

 

Como usar o ônibus

Chamados de colectivos, os ônibus são uma forma rápida, barata e segura de se locomover por BA. E o melhor é que eles cobrem uma extensa área e funcionam 24h! Apesar de parecer um pouco estranho num primeiro momento, os ônibus em Buenos Aires não seguem um padrão de cor ou estilo: muitos são diferentões, com fileteado, cores e cortinas extravagantes. Na frente de cada um há o número da linha (no painel eletrônico) e, abaixo, uma plaquinha com o percurso, já que nem todo colectivo de mesmo número percorre o mesmo trajeto.

Alguns pontos de ônibus são simplesmente placas na parede, outros são pontos de fato. Neles você vê o número da linha e os locais que ela percorre.
Há também alguns desses ‘terminais’ de ônibus pela cidade. Há varias linhas que param neles.

Por isso, ao entrar no ônibus, sempre pergunte ao chofer se ele vai para onde você deseja (se for um ponto turístico conhecido, fale pelo nome mesmo. Caso contrário – se for o endereço de sua hospedagem por exemplo – pergunte se ele passa na Avenida do Seu Hotel, entre as ruas X e Y – ou seja, as 2 transversais que ficam entre o seu hotel. É assim que eles se acham lá). Você deve passar o seu cartão SUBE na maquininha logo na entrada do ônibus. A tarifa varia entre $11 e $13,75 (valores de out/18), a depender da distância que você vai percorrer (por isso ao entrar sempre diga ao motorista pra onde vai). A cada dia 15 do mês, a tarifa sobe $1. Veja os preços atualizados aqui.

Você passa o cartão SUBE naquela maquininha ao lado do motorista

Uma ótima opção é usar os aplicativos de celular BA Cómo Llego ou Moovit pra auxiliar na sua locomoção pela capital. Eles dão a melhor opção em tempo real. Quando estiver conectado a uma rede Wi-fi (caso você não tenha 3G), simule o seu trajeto e ele ficará gravado (fazíamos isso com o Moovit e sempre nos salvava).

 

Leia também: O que não deixar de fazer em uma primeira visita a Buenos Aires

 

Como usar o sistema EcoBici BA

Foto retirada de https://en.wikipedia.org/wiki/EcoBici_(Buenos_Aires) em 27/09/18 às 16:09.

Uma opção gratuita, sustentável e disponível 24/7. Basta se registrar (conforme explicado abaixo) e buscar a sua bicicleta em um dos muitos pontos de retirada disponíveis nas ruas de BA. Você pode usá-la por até 1h seguida nos dias de semana e por 2h seguidas nos finais de semana. Após esse período, você deve devolvê-la em qualquer estação e pode pegar outra bicicleta após 5min de espera.

Para se registrar online, basta acessar esse formulário. Após, envie os documentos pedidos através do mesmo site do formulário (uma imagem do seu RG ou da página com suas informações do Passaporte & carimbo da sua entrada na Argentina com até 3 meses de validade). Depois de aprovado, baixe o app EcoBici, entre com o seu ID e senha, e use-o para retirar a sua bike nos pontos de retirada (precisa de internet. Algumas estações possuem wi-fi gratuito da prefeitura).

Para fazer o registro presencial, você deve agendar uma visita a uma das sedes comunais de Buenos Aires pelo site ou pelo telefone 147. No dia e horário agendados, compareça à sede portando seu RG ou Passaporte e o carimbo/selo de entrada no país. Depois baixe o app EcoBici, que você usará para retirar a bicicleta. Ou então requera o cartão MI BA, com o qual você também pode retirar a bicicleta (sem precisar de internet). Cá entre nós: bem mais fácil fazer online, né?

O mapa com as estações de bike e as ciclovias de BA se encontra aqui. Pessoalmente não diria que “infra-estruturalmente” Buenos Aires é uma cidade bike-friendly. O trânsito é caótico e muitas ruas são estreitas, o que dificulta a passagem de bicicletas. Portanto, é ainda mais importante seguir as recomendações de segurança: use capacete, não dirija com fones de ouvido, respeite a sinalização (o semáforo de carro vale pra bicicleta também!).

Para mais informações clique aqui.

*Muitos usuários do sistema relataram dificuldades em se inscrever ou em retirar a bicicleta. Além disso, há reclamações quanto ao estado delas. 

 

Leia também: Microcentro: uma visita ao coração de Buenos Aires

 

Como usar o ônibus turístico

Foto retirada de https://turismo.buenosaires.gob.ar/en/article/city-sightseeing-bus em 27/09/18 às 16:08

Quem nos acompanha sabe que não somos muito fãs desses programas pra turista ver. Gostamos mesmo é de bater perna, usar o transporte que o local usa e assim sentir a cidade de fato. Mas pra quem já quer um pouco mais de conforto e não tem muita paciência pra pegar transporte público, essa pode ser uma boa opção.

O Buenos Aires Bus passa pelas principais atrações de Buenos Aires, em um trajeto que dura cerca de 3:30. Como ele funciona no esquema hop-on/hop-off, você pode descer nas atrações que quiser e pegar o próximo ônibus que passar (eles passam a cada 20-30min). O veículo é equipado com um sistema de áudio em 10 línguas (inclusive português) que dá uma explicação sobre cada uma das atrações. O serviço funciona todos os dias, até mesmo em feriados. Há dois tipos de ticket: 24h ($670 maiores de 11 anos e $350 menores)  e 48h ($850 maiores de 11 anos e $450 menores). Ele pode ser comprado diretamente no ônibus, no ponto inicial (Av. Pres. Roque Saenz Peña 728) ou pelo site. Para mais informações clique aqui.

E aí, o que você achou do post? Comenta aí embaixo!

Gostou? Quer nos contar sua experiência de viagem? Deixe um comentário!