Buenos Aires: qual moeda levar?

Esse post é o primeiro de uma série de 3 posts sobre Dinheiro em Buenos Aires. O link para o segundo post está no final deste texto.

O peso é a moeda usada na Argentina desde 1992, quando Carlos Menem decidiu substituir o austral. Desde 2015, quando o presidente Mauricio Macri derrubou restrições cambiais, a moeda argentina vem em franca desvalorização ante o dólar. Isso acaba se repercutindo na inflação, que deve atingir 42% no ano de 2018, segundo estimativas do governo argentino. Tudo isso somado resulta em ganhos estratosféricos por investidores estrangeiros e um menor poder de compra na base da pirâmide. Quem sofre, novamente, são os argentinos comuns.

Para o viajante, não há grandes repercussões (a não ser nos meses de agosto e setembro de 2018, quando houve uma desvalorização aguda do peso, sem que os preços dos produtos tivessem sido reajustados, o que tornou viajar para a Argentina mais barato por um curto prazo de tempo), visto que, convertidos para a nossa moeda, os preços dos produtos argentinos têm se mantido mais ou menos no mesmo patamar.

Qual moeda levar?

Já adianto que NÃO vale a pena levar peso do Brasil, já que a cotação é super desvantajosa. E pra saber se é melhor levar real, dólar ou euro quando você for pra BA, fizemos uma fórmula bem simples:

Divida a cotação do dólar/euro na Argentina pela cotação do real na Argentina. Se esse valor for maior que o do dólar turismo no Brasil, leve dólar. Se o resultado da divisão for menor, leve real. Se o resultado for exatamente igual ao da cotação do dólar turismo, tanto faz. Entenda melhor com os exemplos abaixo:

 

Exemplo 1: você tem R$1.000 na mão. Se você levá-los para Buenos Aires hoje (cotação média R$1=8,70 pesos) você conseguirá 8.700 pesos. Por outro lado, se você trocar esses reais por dólares no Brasil (cotação do dólar turismo $1=R$3,91), você terá $255. Em Buenos Aires (cotação do dólar $1=34,60 pesos), isso se converteria em 8.823 pesos. Ou seja, levando dólares você “ganharia” 123 pesos.

Pela nossa fórmula: 34,60/8,70 = 3,97. Ou seja, um valor maior que a cotação do dólar turismo no Brasil (3,91). Sendo assim, vale mais a pena levar dólar. 

Exemplo 2: quando fomos, a cotação do real estava R$1=7,1 pesos e a do dólar estava $1=27,7 pesos. Já a cotação do dólar turismo no Brasil estava $1=R$4,07. Com a fórmula, 27,70/7,1 = 3,90. Ou seja, muito menor do que 4,07. Portanto, valia mais a pena levar real. E foi o que fizemos! 😉

*As cotações que usamos para o cálculo são do Banco de la Nación Argentina e do UOL Economia. Todas referentes ao dia 9/11/18.

Os sites que te mostram uma cotação atualizada e que te permitem fazer esse cálculo são o InfoDolar, o Dolarsi, e o próprio Banco de la Nación (mas a cotação não é tão boa).  

IMPORTANTE: Lembre que a cotação de VENDA é aquela que você paga para comprar a moeda. Já a cotação de COMPRA é quanto a casa de câmbio/banco paga pela sua moeda. Sendo assim, a cotação de compra sempre é menor que a de venda.

Além disso, é bom ressaltar que o dólar é muito bem aceito nos estabelecimentos porteños, mas a cotação nem sempre é favorável. Por isso, recomendamos que você troque os dólares por reais.

Se você ainda tiver alguma dúvida, escreve aí nos comentários 😉

Leia o próximo post da série ‘Dinheiro em Buenos Aires’: Buenos Aires – cartão de crédito, VTM ou dinheiro?

Leia o último post da série: Buenos Aires – onde fazer câmbio

Gostou? Quer nos contar sua experiência de viagem? Deixe um comentário!